Criptomoeda: O ouro digital



O mercado global tem sido de alta volatilidade. As últimas semanas foram — assim como as próximas serão — repletas de notícias que movimentaram os mercados globais. Redução de juros pelos principais bancos centrais do planeta, guerra comercial entre Trump e EUA, desvalorização do yuan, protestos pró liberdade e democracia em Hong Kong, Brexit.

Enfim, dificilmente teremos trégua. No mercado de criptoativos, a volatilidade e o sentimento acabam afetando diretamente as cotações. Depois de alcançar quase 70% de dominância, o bitcoin perdeu terreno, retrocedendo abaixo de US$ 11 mil.

O valor de mercado total também devolveu a alta, retornando ao patamar de US$ 285 bi (dados de terça-feira à noite).

Salários pagos com criptoativos já é uma realidade

Houve algumas notícias interessantes nos últimos dias como a legalização do pagamento de salários com criptoativos na Nova Zelândia. Na América Latina, a exchange Bitex formou parceria com o banco uruguaio Bantotal para oferecer transferências internacionais usando a tecnologia do blockchain.

A Binance, uma das maiores exchanges do planeta, atualizou o mercado com relação a abertura da empresa americana voltada a clientes dos EUA. Num post no seu blog, a Binance US revelou quais ativos está avaliando listar logo no início das operações.

SEC atua em ICO

Não tão interessante, mas muito importante, foi o processo emergencial protocolado pela SEC (a CVM americana) contra o ICO da Veritaseum. Com o objetivo de suspender imediatamente qualquer gasto dos fundos arrecadados (cerca de US$ 8 milhões) pela empresa, a autarquia alegou que os promotores do ICO ludibriaram os investidores deliberadamente.

Criptomoeda chinesa está sendo desenvolvida desde 2014

Também merece destaque a notícia veiculada pelo site TheBlockCrypto da suposta entrevista de um funcionário sênior do Banco Central da China (People’s Bank of China, PBOC) confirmando que a moeda digital do PBOC está praticamente finalizada e que logo passará a circular. A chamada CBDC (central bank digital currency) da China está sendo desenvolvida desde 2014. Aguardemos.

O ouro e Bitcoin

Para encerrar, destaco o relatório recém publicado da Grayscale Investments, uma das pioneiras no setor de criptoativos e blockchain, qualificando o bitcoin como uma eventual proteção à guerra comercial entre EUA e China.

Sem dúvida, concordo com essa opinião. Especialmente por causa de todas as consequências que um agravamento desse impasse podem gerar nos mercados globais e, sobretudo, nas políticas de afrouxamento dos Bancos Centrais.

Da mesma forma como o ouro vem despontando como ativo de proteção neste fim de ciclo de expansão mundial — subiu cerca de 25% no último ano –, o bitcoin passa a ser percebido como potencial hedge na era digital, conforme ilustra a correlação mais forte entre o metal e o criptoativo nos últimos meses.

O ouro já se provou há milênios, o bitcoin está sendo testado agora, há muito caminho pela frente. Finalizo recomendando esta conversa entre Dan Tapiero da Gold Bullion International e Raoul Pal da Real Vision TV sobre ouro e criptos e o futuro do investimento “macro”.

Artigo da XDEX



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *